esquizofrenia na infancia

Esquizofrenia na infância: como identificar e tratar?

A esquizofrenia é uma doença mental que afeta as percepções sensoriais e psicológicas do paciente em diversos níveis. O problema costuma se manifestar no final da adolescência e na fase adulta, mas há (embora incomuns)  casos de esquizofrenia infância.

Crianças que apresentam esse quadro podem não ser tão facilmente identificadas, mas é essencial que os familiares prestem atenção aos sinais e procurem o tratamento o quanto antes.

Esquizofrenia na infância: os sinais

No geral, comportamentos esquizofrênicos são pouco usuais e são causados por uma alteração psíquica na percepção do indivíduo. Isso pode incluir alucinações, delírios, confusão mental e outros sintomas. No caso das crianças porém, a esquizofrenia pode parecer muito com algum tipo de autismo.

Até os 5 anos de idade, essas diferenças comportamentais farão com que o autismo seja o diagnóstico mais provável, inclusive por ser uma condição mais comum que a esquizofrenia na infância. Ainda assim, é importante ficar atento às mudanças de comportamento.

Pode haver algo anormal se a criança era bem afetiva e passou a se mostrar distante, por exemplo, ou se começou a dizer coisas sem sentido (mesmo para uma criança). Ouça também as informações dadas pelos professores, já que eles são, muitas vezes, os primeiros a identificarem algum problema nos pequenos.

Após os 5 anos, é possível que os sintomas mais comuns da esquizofrenia surjam. São eles:

  • Alucinações e delírios;
  • Alterações de pensamento, como ideias impossíveis e confusas, o que normalmente torna o discurso bem desorganizado;
  • Alterações de afetividade, como apatia e afastamento ou reações exageradas e excêntricas;
  • Desconfiança excessiva;
  • Desânimo e perda da motivação.

Não há, aliás, um único tipo de esquizofrenia. Os sintomas acima são observados no tipo mais comum, esquizofrenia paranóide. Há também a hebefrênica (a criança tem idéias completamente confusas), a catatônica (mais rara, afeta principalmente as habilidades motoras de modo que o paciente pode ficar imóvel por horas e até dias) e indiferenciada (que não se encaixa em qualquer outro tipo).

Como tratar a esquizofrenia na infância?

A primeira coisa a fazer caso você suspeite de um quadro de esquizofrenia, é levar a criança para uma avaliação integral com um psiquiatra. Novamente, é preciso lembrar que é muito improvável que esse seja o diagnóstico definitivo antes dos 5 anos, ou antes dos sintomas se desenvolverem.

Depois de confirmada a condição, o tratamento normalmente é feito com uma equipe multidisciplinar. O acompanhamento psiquiátrico é indispensável, bem como o uso de medicamentos. Terapia (individual e familiar) também costuma ser indicada, e diversos outros tipos de atividades, sociais ou não, que visam a integração do indivíduo esquizofrênico na sociedade.

É importante lembrar, também, que como não há um único tipo de esquizofrenia, cada uma pode requerer sua própria combinação de tratamentos. Os medicamentos devem ser administrados caso a caso, de acordo com o avanço da doença e os efeitos colaterais apresentados. Assim, a esquizofrenia no período da infância pode ser controlada para a melhor qualidade de vida e de crescimento da criança.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Lucas do Rio Verde!

Comentários

Posted by Dra. Michelle Teixeira