exercícios físicos

Qual a relação entre os exercícios físicos e a saúde mental?

Quando falamos de saúde mental, estamos falando da consciência e da capacidade de lidar com diversas emoções das quais somos estimulados. A prática de exercícios físicos é um importante agente na manutenção desta.

Quer entender mais sobre essa relação? Então, recomendamos a leitura deste post. A seguir, explicaremos os principais aspectos que evidenciam os benefícios das atividades físicas para nossa saúde mental.

O impacto do sedentarismo na saúde mental

O sedentarismo já é considerado uma epidemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Isso porque, a ausência de atividades físicas vem sendo cada vez mais comum entre a população.

Geralmente, quando ouvimos sobre os riscos de ser sedentário, a hipertensão, obesidade, diabetes e as doenças cardiovasculares são as doenças mais mencionadas. Porém, os problemas não param por aí.

Além dos danos à saúde física, o sedentarismo pode ser devastador para a saúde mental. Existem dados epidemiológicos que comprovam a maior predisposição de pessoas menos ativas para desordens mentais.

A ausência de atividades físicas pode favorecer o aparecimento de problemas de autoestima, transtornos de ansiedade, excesso de estresse, depressão, doença de Alzheimer e Parkinson.

Como os exercícios físicos impactam na função cognitiva?

A prática de exercícios físicos promove diversas alterações, incluindo benefícios cardiorrespiratórios, aumento da densidade mineral óssea e redução do risco de doenças crônicas degenerativas.

Entende-se como função cognitiva as fases do processo de informação, percepção, aprendizagem, atenção, memória, vigilância, raciocínio e solução de problemas, além do funcionamento psicomotor.

Nos últimos anos, foram identificados alguns fatores de risco que aumentam a predisposição de um indivíduo ao prejuízo cognitivo, tais como, idade, gênero, histórico familiar, trauma craniano, tabagismo, estresse mental, socialização e deficiências nutricionais.

Neste sentido, os exercícios físicos ajudam a reduzir essa maior suscetibilidade, sendo um importante protetor contra a demência em idosos. Porém, o nível do efeito do exercício físico na cognição depende da natureza da tarefa cognitiva.

Isso porque, estudos apontam que o condicionamento físico pode ter impacto positivo na performance cognitiva de tarefas complexas, mas não em tarefas simples. Ou seja, os efeitos do exercício são mediados pela complexidade da tarefa cognitiva.

Quais os benefícios dos exercícios para a saúde mental?

As atividades físicas oferecem muitos benefícios para a saúde mental e física. A seguir, listamos algumas dessas vantagens que são comprovadas cientificamente:

  • diminui o estresse: os exercícios físicos ajudam a reduzir os níveis de cortisol, conhecido como o hormônio do estresse;
  • qualidade do sono: as atividades melhoram a qualidade do sono, reduzem a insônia e nos ajudam a estabelecer uma rotina de sono;
  • produção hormonal: os exercícios atuam diretamente na produção dos hormônios da felicidade, tais como, a serotonina, dopamina e endorfina;
  • aumenta a disposição: a maior produção de endorfina eleva a autoestima e a disposição;
  • alívio dos sintomas de transtornos mentais: com os hormônios da felicidade em abundância, nosso organismo combate os sintomas da depressão, TDAH, ansiedade e síndrome do pânico.

Enfim, como você pode perceber, há uma estreita relação entre a prática de exercícios físicos e a saúde mental. Portanto, para manter uma boa qualidade de vida e evitar diversas doenças, abandone o sedentarismo e pratique atividades físicas.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Lucas do Rio Verde!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp