O que é o transtorno bipolar?

Provavelmente, você já ouviu falar em transtorno bipolar. Essa condição não tão incomum se caracteriza, principalmente, pelas duas fases da doença: maníaca e depressiva. Em ambas as situações, o paciente tem a sua qualidade de vida consideravelmente impactada.

Neste post, explicaremos os principais tópicos a respeito desse transtorno, desde a sua fisiopatologia até as intervenções terapêuticas mais adequadas para o efetivo controle da doença. Ficou interessado? Então, continue a leitura.

Entenda o transtorno bipolar

O transtorno bipolar é um transtorno cerebral que provoca alterações súbitas e incomuns no padrão de humor, energia, níveis de atividade e na capacidade de desenvolver tarefas comuns do cotidiano.

Ainda, a doença maníaco-depressiva, como também é chamada, se caracteriza por períodos de extrema tristeza com episódios de intensa euforia. Para entender melhor a condição, é preciso conhecer as suas duas fases:

  • tipo 1  – Mania: nesse transtorno, o paciente apresenta picos de euforia combinados com um estado mais leve de excitação e otimismo exagerado. A depender do grau de comprometimento, pode manifestar agressividade verbal ou física;
  • tipo 2 – Depressão: nessa fase, os sintomas estão mais ligados à tristeza profunda, falta de estímulo em relação à vida e à desesperança. No transtorno bipolar, as alterações comportamentais afetam tanto o paciente quanto as pessoas do seu convívio.

Além dessas fases, o paciente também pode apresentar a desordem ciclotímica, situação em que há vários episódios de de hipomania e também de depressão. Ademais, existem outros transtornos bipolares que não se enquadram em nenhuma dessas classificações.

Quais os sintomas?

A pessoa com transtorno bipolar costuma experimentar mudanças no padrão de sono, comportamentos incomuns e alterações constantes nos níveis de atividade. Além disso, outros sintomas podem surgir, a depender do tipo de episódio.

Nos momentos de mania, é comum que o paciente se sinta muito eufórico, nervoso, agitado, tenha dificuldades para dormir, passe a falar em ritmo acelerado, realize atividades mais arriscadas e acredite que seja capaz de fazer várias coisas ao mesmo tempo.

Já nos episódios depressivos, os sintomas invertem, como, por exemplo, baixa energia, pensamentos suicidas, mudanças de apetite, sensação de cansaço contínuo, sentimento de tristeza e vazio, dificuldades para se concentrar e memorizar.

Como é causado?

O transtorno bipolar ainda não tem uma causa conhecida. Porém, há evidências de que há uma regulação nos neurotransmissores noradrenalina e serotonina. Geralmente, a condição é desencadeada por um evento estressante.

Além disso, acredita-se que o uso de certos medicamentos ou drogas ilícitas, níveis altos de hormônio tireoidiano e algumas doenças físicas possam provocar os sintomas deste transtorno cerebral.

Como é o tratamento?

O tratamento do transtorno bipolar tem por objetivo controlar os sintomas e devolver a qualidade de vida ao paciente. No entanto, ainda não há uma cura para a doença. O psicólogo e o psiquiatra são os profissionais capacitados para a adoção de medidas terapêuticas.

Ademais, o tratamento pode ser feito a partir do uso de medicamentos estabilizadores de humor, antidepressivos, ansiolíticos e antipsicóticos. Além disso, a psicoterapia é um recurso importante para tratar a bipolaridade.

Entre as principais abordagens terapêuticas utilizadas nestes casos, estão a terapia rítmica interpessoal e social, e a terapia psicodinâmica. Em ambos os métodos, a proposta é reduzir as oscilações de humor e fazer com que o paciente tome consciência dos comportamentos característicos da doença.

Então, com a leitura deste post, você conheceu um pouco mais sobre o transtorno bipolar, seus sintomas, causas e tratamentos. Portanto, caso tenha algum amigo ou familiar que apresente um quadro semelhante, indique a avaliação de um profissional de saúde mental.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Lucas do Rio Verde!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp