Síndrome de Burnout

Síndrome de Burnout: O que é e como é o seu tratamento?

O excesso de compromissos, a pressão no trabalho e as muitas responsabilidades tem impactado consideravelmente na saúde das pessoas. Com isso, surgiu uma doença chamada Síndrome de Burnout.

Você já ouviu falar dela?  Sabe suas causas? Conhece os sintomas? Então, continue a leitura. A seguir, explicaremos tudo sobre o assunto e responderemos a todas essas perguntas.

O que é a síndrome de burnout?

Trata-se de um distúrbio emocional muito comum em pessoas que exercem atividades profissionais sob muita pressão e responsabilidade, como por exemplo, médicos, enfermeiros, professores e policiais.

Ademais, também é comumente diagnosticada em pessoas que estejam com trabalhos de difícil execução ou que se achem incapacitadas para realizá-lo.

Ainda, o termo burnout é a junção de duas palavras do inglês (“burn” e “out”), que significa “queimar algo até o fim”. Nesse sentido, as principais características da síndrome são o esgotamento físico e emocional e o estado de estresse crônico.

Quais são os sintomas?

Embora a falta de desejo em levantar da cama para ir ao trabalho e o estresse sejam sintomas aos quais todos estamos suscetíveis, a recorrência desses sentimentos pode indicar o início do transtorno. 

Além disso, a Síndrome de Burnout também se caracteriza por outros sinais, tais como, nervosismo, dor de barriga, tonturas, dor de cabeça constante, insônia, falta ou excesso de apetite, convívio constante com sentimento de fracasso e insegurança, isolamento social, cansaço excessivo físico e mental, falta de concentração e alterações no humor.

Quais são as causas?

A síndrome costuma surgir quando o acúmulo de responsabilidades passa a ser um motivo de estresse, gerando ansiedade e nervosismo. A competitividade, o excesso de pressão ou o mau ambiente de trabalho também são fatores que desencadeiam a doença.

Existe tratamento?

A síndrome de burnout envolve fatores psicológicos e, por isso, deve ser tratada por profissionais de saúde mental, como psicólogos e psiquiatras. Geralmente, o tratamento é feito através de sessões de psicoterapia e uso de medicamentos.

Ademais, a psicoterapia pode ser feita a partir de diferentes abordagens terapêuticas. No entanto, todas têm o objetivo de encontrar estratégias para controlar o estresse do paciente. Sendo assim, o tratamento permite que ele:

  • compreenda melhor a si mesmo;
  • tenha uma visão ampla sobre a situação;
  • encontre meios para enfrentar a doença;
  • diminua o esgotamento físico e mental;
  • promova o bem-estar.

Além disso, os antidepressivos e ansiolíticos podem ser recomendados para tratar a depressão e a ansiedade causada pela síndrome de Burnout. 

Entretanto, a medida mais eficaz é a mudança no estilo de vida. Então, isso significa se afastar da atividade profissional, ficar um período de férias ou realizar atividades relaxantes, tais como, dançar, sair com amigos, ir ao cinema, entre outros.

Como prevenir a síndrome de Burnout?

Por fim, a prevenção da doença é possível por meio da adoção de algumas medidas na sua rotina, como por exemplo, evitar contato com pessoas negativas, evitar consumo de bebidas alcoólicas ou tabaco, descansar adequadamente e inserir atividades de lazer no seu dia.

Então, com a leitura deste post, você conheceu um pouco mais sobre a síndrome de burnout e os fatores que podem desencadeá-la. E não se esqueça de procurar um profissional de saúde mental se observar os sintomas mencionados. Veja também como lidar com o estresse.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Então, leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Lucas do Rio Verde!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp