transtornos alimentares

Quais os tipos de transtornos alimentares

Quais os tipos de transtornos alimentares

A maioria das pessoas tem ciência do que são os transtornos alimentares e de como eles podem afetar a saúde humana. Contudo, nem todos sabem que existem vários tipos desses transtornos, além dos mais conhecidos, tais como bulimia e anorexia.

Neste post, você vai conhecer mais sobre esses tipos, as causas e os sintomas mais comuns relacionados a eles. Então, continue a leitura, para se tornar um conhecedor do assunto.

O que são os transtornos alimentares?

Em suma, é um distúrbio mental que tem como principal característica a manutenção de hábitos alimentares que causam prejuízos à saúde física e emocional do indivíduo. Esses transtornos são mais comuns durante a adolescência e no começo da vida adulta.

Na maioria dos casos, a origem dos distúrbios alimentares está relacionada às consequências psicológicas de outras patologias, tais como ansiedade e depressão.

Além disso, existem outros fatores que são reconhecidos como gatilhos para o aparecimento dos transtornos. São eles:

  • pressão social para ter um corpo perfeito;
  • culto excessivo ao corpo;
  • maus hábitos alimentares;
  • baixa autoestima;
  • sentimento de culpa ao se alimentar;
  • alterações hormonais;
  • uso de drogas;
  • distúrbios emocionais.

Quais são os tipos mais comuns?

Existem vários tipos de transtornos alimentares, mas nem todos são comprovados pela medicina. Nas próximas linhas, você irá conhecer apenas os tipos mais comuns e que são consenso na comunidade médica.

Anorexia nervosa

A anorexia nervosa é um transtorno no qual o paciente sempre enxerga o próprio corpo como se estivesse acima do peso, mesmo que esteja claramente magro. Diante da obsessão pelo emagrecimento, evita a ingestão de qualquer tipo de alimento.

A melhor forma de tratar essa doença é por meio de sessões de psicoterapia. Dessa forma, será possível mudar o comportamento alimentar e a maneira como a pessoa vê a própria aparência. O uso de medicamentos e o acompanhamento nutricional ajudam a obter melhores resultados.

Bulimia

Diferentemente da anorexia nervosa, pacientes que sofrem com a bulimia costumam manter o peso corporal adequado. Ao mesmo tempo, a principal característica desse transtorno é a alimentação excessiva seguida de vômitos forçados, o uso de diuréticos, a realização de jejum e a realização de exercícios em excesso.

A psiquiatria é a especialidade que oferece os melhores resultados para o tratamento dos transtornos alimentares. No caso da bulimia, a terapia cognitivo comportamental é o procedimento mais indicado. Porém, é imprescindível que haja a participação familiar.

Vigorexia

A vigorexia é uma condição em que o paciente se percebe com menor força muscular que a que realmente possui. Assim, está sempre praticando exercícios físicos para melhorar a aparência física.

Nesses casos, o tratamento consiste em acompanhamento psicológico e nutricional, realização de terapias, uso de medicamentos para controle da ansiedade e envolvimento familiar.

Ortorexia nervosa

Esse transtorno é caracterizado pela obsessão pela saúde alimentar, pela qualidade dos alimentos que a pessoa ingere e pela pureza da dieta. O paciente consome, exclusivamente, alimentos que estejam livres de agrotóxicos, bem como sem componentes transgênicos ou artificiais.

O perigo dessa condição está nos grandes períodos que permanece sem se alimentar em razão da ausência desse tipo de alimentos, além do risco de levar o paciente ao isolamento social.

Transtorno da compulsão alimentar periódica (TCAP)

É um distúrbio semelhante à bulimia, diferenciando-se dela apenas por não fazer o uso de métodos compensatórios, como laxantes e diuréticos. Os pacientes de TCAP alimentam-se excessivamente em curtos períodos de tempo.

O tratamento dessa condição é realizado com uso de antidepressivos, sessões de terapia cognitivo comportamental e acompanhamento nutricional.

Como você percebeu, a psicoterapia é uma grande aliada no tratamento dos transtornos alimentares. A eficácia desse recurso está na forma como ensina o paciente a entender quais são os gatilhos que o fazem iniciar o comportamento compulsivo.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Lucas do Rio Verde!

Posted by Dra. Michelle Teixeira in Todos
Quais são os transtornos alimentares mais comuns?

Quais são os transtornos alimentares mais comuns?

Durante todo o processo da evolução humana os transtornos alimentares existiram porém só há pouco tempo eles começaram a ser identificados e validados como transtornos que devem ser acompanhados e tratados.

Muitas vezes o problema era até identificado porém interpretado de forma equivocada (algumas vezes até mesmo preconceituosa),  até que os estudos evoluíssem e chegassem às especificações médicas mais adequadas.
Hoje eles são permanentemente estudados para a descoberta de novos tratamentos com mas rapidez e segurança para o paciente.

O que são transtornos alimentares?

A anorexia era conhecida como anorexia histérica e compulsão nervosa , em que se acreditava ser exclusivo das mulheres. Entre os séculos XVII e XIX o distúrbio teve várias observações que nem sempre eram corretamente fundamentadas, muitas vezes baseadas em outros aspectos sociais do que no problema em si.

O que enriquece ainda mais as pesquisas sobre como esses distúrbios eram diagnosticados, é a grande velocidade que eles evoluíram e se desenvolveram. O motivo para tal afirmação é o estilo de vida da população que  foi alterado, assim como os conceitos estéticos e sociais que influenciam diretamente no desenvolvimento dos distúrbios.

Essas mudanças são exemplificadas pelo padrão de beleza, que em apenas um século teve uma grande alteração. Se antes as mulheres com mais curvas eram retratadas por famosos pintores como as maiores belezas de sua geração, a partir da década de 1960 foram as magérrimas que começaram a ser enaltecidas. E com isso, esse aspecto físico transformou-se  em ideal de beleza.

Nem todos os transtornos alimentares são pautados na busca pela magreza e a maior parte deles são fundamentados em questões sociais ou culturais. A preocupação com a perda ou ganho de peso é um dos vários aspectos psicológicos que emplacam um descontrole no limite da comida ingerida. Em casos extremos, a obesidade torna-se um diagnóstico real.

Mesmo que os transtornos alimentares também atinjam homens (e esse número tem sido ainda mais elevado nos últimos anos) as mulheres são o público mais afetado. O aspecto cultural tem total influência nessas manifestações, mas há ainda fatores biológicos, psicológicos e familiares que ampliam as causas.

Quais os transtornos alimentares mais frequentes?

Entre os transtornos alimentares mais comuns estão:

Anorexia

É um distúrbio alimentar onde o paciente, embora extremamente magro, se enxerga como obeso. É muito comum que se desenvolva em pessoas que estão sempre buscando novas dietas alimentares. Como grande parte das dietas indica que o peso adquirido vem da quantidade de alimentos ingeridos, o paciente decide não se alimentar mais ou comer o mínimo para se manter vivo.

O distúrbio aumenta quando mesmo diante de uma radical e grande perda de peso, o paciente não consegue se perceber mais magro e amplia ainda mais suas restrições alimentares. Podem abusar de atividades físicas e de remédios ou outros métodos não autorizados por especialistas, para diminuir ainda mais seu peso.

 Bulimia

A bulimia pode surgir em pessoas anoréxicas, sem obrigatoriamente estar vinculada a ela. O transtorno alterna momentos de ingestão desenfreada de alimentos  e períodos de dieta radical e uso de purgações para diminuir a culpa pelos excessos.

O paciente pode provocar vômitos assim que termina de se alimentar, usar constantemente laxantes e nem sempre consegue perder muito peso em pouco tempo, o que provoca ainda mais a compulsão alimentar e os vômitos provocados.

Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica (TCAP)

Caracteriza-se por crises de compulsão desmedida na comida, fazendo com que o indivíduo coma até começar a se sentir mal. Nesse caso não há estímulo de extirpar o que foi consumido do organismo, ao contrário, há uma consciência de que vai engordar ainda mais.

 Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Lucas do Rio Verde.

Posted by Dra. Michelle Teixeira in Todos